domingo, 30 de novembro de 2008

A Anatomia dos Dragões

Produtores encontram respostas na natureza

Os produtores de DRAGÕES: UMA FANTASIA QUE SE TORNA REALIDADE trabalharam em colaboração com o consultor científico Dr. Peter Hogarth, o internacionalmente reconhecido artista especializado em dinossauros John Sibbick e os animadores da empresa Framestore para criar a versão mais realista possível dos dragões. Como? Extraindo suas pistas diretamente da natureza. Este especial usa animais reais e o seu comportamento para determinar a história natural dos dragões.


• ASAS PARA VÔO: As asas de um dragão poderiam ser comparadas às dos morcegos, que possuem quatro pontos de sustentação e são capazes de carregar mais peso que as asas de um pássaro, sustentadas em apenas dois lugares.

• A IMPORTÂNCIA DA CAPACIDADE DE FLUTUAÇÃO: Todos os animais carregam bactérias em seus intestinos que ajudam na digestão dos alimentos. Neste processo, as bactérias liberam um produto metabólico secundário: gás. A equipe do programa sugere que as bactérias presentes no sistema digestivo dos dragões poderiam ter sido de um tipo raro, liberando hidrogênio gasoso. O hidrogênio, que é combustível e 14 vezes mais leve que o ar, seria o segredo da capacidade de voar e de soltar fogo dos dragões. O hidrogênio aumentaria o seu poder de flutuação, permitindo que voassem. O gás produzido seria canalizado para duas bolsas de armazenamento, as vesículas de vôo, que, quando totalmente infladas, ajudariam estes animais a levantar vôo.

• LEVE COMO UMA PLUMA: Animais voadores (pássaros, morcegos etc) são dotados de ossos ocos ou alveolares (semelhantes ao favo de mel), que ajudam a reduzir seu peso. A equipe do programa usou este mesmo modelo de esqueleto para justificar a teoria de que os dragões também eram capazes de voar. Ter ossos ocos, porém, não seria suficiente para fazer um gigante dragão deslocar-se pelo ar. Entretanto, os ossos ocos combinados com a capacidade de flutuação criada pelo hidrogênio armazenado nas vesículas de vôo poderiam reduzir significativamente o peso de um dragão, fazendo com que pudesse levantar vôo

Um comentário:

Yuri Bacelo Viana disse...

eu estuto dragoes a 2 anos.