segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Dragões mito ou verdade?

A fascinação pelos dragões existe na história da maioria das culturas. Entre todas as criaturas fantásticas e mitológicas, os dragões são as mais famosas e amplamente difundidas. Sejam eles bons ou maus, suas histórias passaram de geração em geração, desde o início dos tempos, em quase todas as sociedades.



No antigo folclore ocidental, os dragões eram freqüentemente retratados como criaturas más e perigosas. Lendas da Idade Média mostram a matança de dragões como um rito de passagem para os cavalheiros. Já as culturas orientais consideravam os dragões um símbolo de sorte e poder, uma crença assimilada pela cultura ocidental contemporânea


Atualmente, dragões podem ser vistos em diversos meios, incluindo filmes, música, literatura e televisão. A maioria dos dragões de hoje é vista como criaturas mágicas, inteligentes e muitas vezes engraçadas, captando a imaginação de todas as audiências, especialmente das crianças. A seguir, alguns exemplos de como os dragões foram representados ao longo dos tempos:

• “Ladon” foi um dragão da Grécia antiga que guardava a árvore de maçãs de ouro da deusa Hera. Hércules matou Ladon para poder roubar as maçãs.



• “O Dragão Chinês Celestial” é considerado o símbolo da própria raça chinesa. Chineses em todo o mundo proclamam com orgulho serem “Lung Tik Chuan Ren” (descendentes do dragão). Dragões são considerados criaturas míticas divinas que trazem abundância, prosperidade e boa sorte.



• “Rahu” e “Ketu” originaram-se na mitologia hindu e são importantes na astrologia Védica. Rahu é a “Cabeça do Dragão” e está associado com o nodo norte da lua. Ketu é o “Rabo do Dragão” e está associado com o nodo sul da lua.



• “Fafnir” é um dragão da mitologia nórdica que iniciou a vida como um gigante. Quando jovem, ele matou o pai para roubar seus tesouros. Utilizando-se de poderes mágicos, Fafnir transformou-se em um dragão para proteger melhor seus tesouros roubados.


• Meu Amigo o Dragão (Pete’s Dragon, 1977), que combina personagens reais com uma figura animada, ainda continua atraindo as crianças.



• O aclamado filme Coração de Dragão (Dragonheart ), lançado em 1996 pela Universal Pictures, conta a história medieval do último dragão na terra.


• “Mushu” é o dragão do filme de animação da Disney Mulan. Ele é o poderoso guardião que ajuda Mulan a combater os hunos e devolver a honra da sua família.

• “Norbert” é o dragão bebê de Hagrid nos contos de Harry Potter. Harry precisa vencer mentalmente o dragão durante o desafio inicial do Torneio Tribruxo no filme Harry Potter e o Cálice de Fogo (Harry Potter and the Goblet of Fire)

• “Charizard” é um dragão voador que solta fogo no videogame e jogo de cartas da série Pokemon. O nome japonês para Charizard é “Rizaadon” (“Lizardon”).

• “Blue-Eyes White Dragon” é uma das primeiras cartas do jogo YuGIOh (Yu-Gi-Oh), que aparece também no primeiro episódio da série para televisão, O Coração das Cartas (The Heart of the Cards).


• “Yogune-Nushi” era um diabólico dragão japonês, obcecado por carne humana e que uma vez ao ano exigia o sacrifício de uma donzela.



Aprendendo um pouco mais...
Dragões ou dragos são criaturas presentes na mitologia dos mais diversos povos e civilizações..
São representados como animais de grandes dimensões, normalmente de aspecto reptiliano (semelhantes a imensos lagartos ou serpentes), muitas vezes com asas, plumas, poderes mágicos ou hálito de fogo. A palavra dragão é originária do
termo grego drakôn, usado para definir grandes serpentes

Em vários mitos eles são apresentados literalmente como grandes serpentes, como eram inclusive a maioria dos primeiros dragões mitológicos, e em suas formações quiméricas mais comuns.


A variedade de dragões existentes em histórias e mitos é enorme, abrangendo criaturas bem mais diversificadas. Apesar de serem presença comum no folclore de povos tão distantes como chineses ou europeus, os dragões assumem, em cada cultura, uma função e uma simbologia diferentes, podendo ser fontes sobrenaturais de sabedoria e força, ou simplesmente feras destruidoras.

Desconhecem-se evidências concretas que fundamentem a existência de dragões semelhantes aos construídos pelo imaginário dos diversos povos, porém existe um réptil chamado dragão-de-komodo que possui feições parecidas com os dragões da cultura européia, apesar da ausência de asas. Dentro dos registros paleontológicos, o que mais se aproximou foram os répteis voadores pterossauros.



Existem também dragões verdadeiros no mundo real. Não se tratam realmente de dragões como nas concepções comentadas acima, mas sim de diversos seres vivos que, por alguma semelhança qualquer, foram nomeados em homenagem as estas criaturas mitológicas.


Existe entre os répteis, por exemplo, o gênero Draco usado para designar espécies normalmente encontradas em florestas tropicais, que possuem abas parecidas com asas nos dois lados do seu corpo, usando-as para planar de uma árvore para outra nas florestas.


Existem diversas espécies de peixes, especialmente de cavalos marinhos, que possuem nomes populares de dragões.


O Dragão-de-komodo (Varanus komodoensis), um grande lagarto podendo chegar ao tamanho de um crocodilo, carnívoro encontrado na ilha de Komodo, no arquipélago da Indonésia, tem esse nome devido à sua aparência, que remete aos dragões mitológicos. Acabou se tornando o mais famoso dragão do mundo real.




É a maior espécie de lagarto que existe e este réptil já vivia na face da terra muito tempo antes da existência do homem. Possui em sua saliva bactérias mortais que tornam inútil a fuga de uma presa após levar uma mordida, pois sobrevém uma infecção rápida e letal que mata em alguns dias. Mesmo apesar de serem tão letais, um dragão não morre caso se morda ou algo assim, pois seu sangue possui substâncias capazes de neutralizar as bactérias que habitam sua boca.


No ano de 2006, o Discovery Channel exibiu um documentário dissertando que os dragões realmente existiram. Seriam a evolução de certos répteis. O fogo poderia ser expelido pela boca pois havia gás metano junto de demais gases dentro do estômago, assim como nós mesmos temos.



Nesta foto, de uma criatura supostamente encontrada por volta de 1890 em Oxfordshire - Inglaterra, mostra um bebê de dragão.

6 comentários:

MK disse...

So cool blog

Paulinho disse...

não acreditaria se não tivesse assistido o documentário!

Lucy Queen disse...

Adorei... to te seguindoooooo
mi visita dpois... bai...

GIULLIE disse...

Adoro tudo que inclui dargoes, sou facinada. Pego imagens, pesquisas, filmes, etc, s[o para aprender e descobrir, mais, leio e releio de tudo que vc possa imaginar sobre essas criaturas. Estou lendo um livro que se chama dragoes deandreas göbling. É um tanto infantil, mas mostra vários mitos interessantes. adorei suas postagens.

Jhonny disse...

Legal gostei mto das postagens tem muito mais do que eu imaginava!
contudo eu ja vi cada coisa nessa vida que eu não duvido mais de nada!...

LUIZEDZ disse...

Querida a mente humana tem a capacidade de criar, inventar e destorcer as coisas. Ainda bem que nunca existiu, pois já temos no Brasil nossos próprios Dragões. Quem tem Políticos, IRPF, e Impostos absurdos.