sábado, 21 de março de 2009

Sereias




A Sereia é um ser mitológico, metade mulher e metade peixe (na mitologia grega era metade mulher metade pássaro) ou pássaro, Filhas do rio Achelous e da musa Terpsícore.



Elas habitavam os rochedos e o seu canto atraía os marinheiros dos navios que depois eram devorados aproximar.



Algumas das sereias citadas na literatura clássica são:


Pisinoe - A Controladora de Mentes


Thelxiepia - A Cantora que Enfeitiça



Ligeia A Doce Sonoridade






Na mitologia grega, as sereias eram representadas como seres com cabeça e busto de mulher e a parte inferior do corpo em forma de pássaro. Tinham voz suave e sedutora (como os pássaros) e viviam sobre os rochedos, nas proximidades das ilhas ou corais.

As criaturas mitológicas com corpo metade mulher e metade peixe chamavam-se “nereidas” para os gregos eram estas criaturas as ninfas que presidiam ao mar.



Na mitologia nórdica, as nereidas eram chamadas de “sereias”. Depois de proliferarem histórias, filmes e desenhos animados com "A pequena sereia" o erro foi instituído para sempre ficando a idéia que era assim que os gregos as viam.

A história mais conhecida é a de Ulisses (Odisseia de Homero) que só se salvou porque se amarrou ao mastro e colocou cera nos ouvidos para não ouvir as suas vozes.

“Assim falavam com melodiosa voz, e eu sentia o coração consumir-se de desejo. Com um aceno dos olhos, ordenava aos companheiros que me soltassem; eles, porém, remavam, curvados sobre remos.

Mas Perímedes e Euríloco se ergueram e, com duplas cordas, ligaram-me bem mais fortemente ao mastro. Somente quando já estávamos longe do ponto de não mais ouvir a voz e o canto das Sereias, meus fiéis companheiros tiraram das orelhas a cera que eu havia posto e me livraram das cordas”.
HOMERO,Odisséia

Imagem - Ulisses a enfrentar as sereias
Herbert James Draper


Northstar Gallery - Todas as sereias possíveis e imaginárias

SEREIAS E AS ÁGUAS DA VIDA



SEREIAS E AS ÁGUAS DA VIDA

No mito celta da criação, o poder da mulher é exaltado.

Para nossos primeiros ancestrais a capacidade de dar à luz era clara. O papel do homem na produção de uma nova vida era incerto.

Mas para os celtas o mar era a Mãe de toda a vida e, na maioria das histórias, é o único responsável pelo crescimento e renascimento.

O mar, o oceano, o lago, as cachoeiras, os rios, tudo isso representa as águas da vida dentro de um útero feminino.

As águas conservam tesouros secretos, reinos encantados e criaturas estranhas, cujo conselho esquecemos ou distorcemos, para nosso próprio risco.

A mitologia celta esta cheia dos MERROW ou pessoas do mar, de sereias, meio peixe meio humana, que agem como curandeiras, Guardiãs da Água e restauradoras da vida.

A mais importante lição da história da sereia é sobre como escutar as respostas curativas vindas do mundo em volta de nós. Ervas medicinais, óleos e cristais; o poder da canção; e o elemento Água são ferramentas de fortalecimento usadas pelos MERROW para curar.

Histórias de sereias existem em todos os países. Até as regiões sem litoral contam histórias da magia do s Merrow, ou Povo do Mar.